+ RITA
MONTE

dia2-25.jpg

Muito prazer. Sou a Rita Monte.

Inteira nas muitas que sou, vazia para ser quem ainda vou me tornar.

Curadora, filha, irmã, amante, esposa, amiga, mãe, comadre.

Como mulher, sou cocriadora dos desenhos de vida para mim e para a comunidade onde estou.

Como curadora, sou terapeuta do feminino.

 

Sou também escritora, e parte fundamental do que faço como terapeuta é revelar os nomes do que precisa vir à luz, dar voz ao silenciado, traduzir o mistério e a beleza para que sejam existentes no duro mundo do fazer automático. Minha medicina também é a palavra, porque a palavra, quando cheia de intenção, cria. 

Caminhei para chegar aqui onde o ofício é ser quem sou: hoje me sei uma alma que se achegou em uma forma humana potente, feminina, que aprendeu a se maravilhar com o próprio corpo de mulher como primeiro lugar de expressão, criação e materialização daquilo que antes não existia. Estou comprometida com a lembrança de que, como mulheres, temos um lugar de visionárias em nossa comunidade. Mulheres, somos íntimas do Mistério da criação, responsáveis por repetir ou inaugurar histórias — de sofrimento ou de liberação. Por nós, por nossa teia ancestral e pelas mulheres que virão.

 

Este compromisso me guia a cada passo, a cada encontro, círculo, a cada palavra que escrevo. Com as mulheres que recebo mas também com minha família de origem, com meu filho, meu marido, vizinhos, amigos, cidade, na micropolítica do dia a dia.

Não é assim simples ou leviano fazer esta mistura, onde as escolhas que faço para minha vida “privada" refletem diretamente no quanto consigo sustentar o campo de cura e liberação a cada mulher que me chega. Desde a escolha de onde vivo, do que me alimento e como vivencio meu ciclo menstrual — ser terapeuta do feminino me pede integridade o tempo todo, e isso é muito bom. O trabalho que fazemos aqui é profundo, é bonito, é de verdade, e é feito pelo Feminino em si — que, como princípio, convoca cada mulher a forjar em si sua sabedoria, pois é com ela que engendramos nossa auto-cura.

 

Agradeço por este caminho ter se aberto para mim, por gentilmente ter se revelado como uma senda e me ensinar tanto e sempre. Ser terapeuta do feminino é um modo genuíno de me sentir conectada comigo e com a Vida, que faz com que eu caminhe minha palavra, cada vez mais, sabendo da potência e da magia que é ser mulher.
 

Por mim e por todas as minhas relações. 

WhatsApp Image 2021-06-08 at 12.15.43.jp
_CS783941583404906680.jpg
dia1-99.jpg

ENTREVISTADA DE CAPA NA
VIDA SIMPLES

Fui a entrevistada de capa da revista Vida Simples (out/20), por ocasião do lançamento do meu livro Memórias do Feminino. Foram 4 páginas dedicadas ao Feminino nas mulheres contemporâneas, numa conversa profunda e simples ao mesmo  tempo. 

"Como terapeuta, acredito que deve haver um olhar específico dentro das terapias todas para ler os caminhos de transformação psico-física de mulheres, o que eu chamo caminhos para “Mulheres em Transição”. 

 

Mulheres se desenvolvem de uma maneira única, e é fundamental que mais profissionais de saúde saibam ler esses caminhos, para saber tirar o máximo proveito de suas curvas, pausas e impulsos".

Rita Monte

Fique à vontade para falar comigo:

Obrigada pelo envio! Jaja entro em contato!

Minha experiência em bullets:

Desde 2006 acompanho pessoas em processos de transição orientados por “propósito”, que eu prefiro chamar de alinhamento com sua vida.

Desenvolvi metodologias que integravam empreendedorismo a práticas intuitivas, estudei como a vida se transforma para poder intervir nas histórias de outras pessoas, coordenei e facilitei programas de Expressão de Potenciais, criei duas empresas em formato comunidade-rede, onde também dava aulas de yoga, meditação e filosofia do Tantra, além de cultivar minha prática pessoal.

 

Formei profissionais nos métodos autorais que criei, fui coach e mentora de centenas de pessoas e organizações até… Parir.

 

Gestar e parir mudou minha rota pra sempre. 

  • A partir da maternidade, lá por 2014, orientei minha experiência para priorizar o acompanhamento de Mulheres em Transição, e iniciei minha atuação como Terapeuta do Feminino.
     

  • Comecei a trabalhar com mulheres pela origem: a Maternidade. Passei 5 anos mergulhada nos recônditos abissais do tema: acompanhei em processos longos mais de 1000 mulheres-mães que toparam a aventura de ser tudo o que podiam ser, através da maternidade, com as 17 edições do CGM - Coaching em Grupo para Mães em modo presencial/telepresencial e também pelo e-book CGM com meu acompanhamento.
     

  • Em 2020, lancei o PRUMO - Você em um Novo Centro, programa para mães originado da experiência do CGM, o único programa digital para mães que conserva a riqueza de um processo em círculo de mulheres.
     

  • Escrevi o livro Memórias do Feminino: Narrativas de Liberdade de Mulheres do Século XXI, um grande marco para mim, lançado em 2020 de maneira independente, e linda.
     

  • Realizei, ao lado de Joana Blumenschein, o filme Força Matriz, mini documentário sobre os impactos e possibilidades da maternidade para a mulher e todas as suas relações, exibido em centros culturais em São Paulo como Sesc Pinheiros, Unibes Cultural, Red Bull Station.

  • Concentro mais de 10.000 horas de atendimentos individuais e em grupo.
     

  • Perdi a conta de quantos círculos de mulheres anfitriei!
     

  • Foram diversos ciclos do Pulso desde 2016 (meu programa de Terapia para Mulheres voltado para nos apropriarmos de nossas Inteligências Cíclicas), Jornadas do Ciclo Criativo Feminino (desde 2020), e dezenas de mulheres mentoradas por mim na comunidade potente da Mentoria Anual Ciclo Criativo Feminino, que comemora 1 ano em julho/21. Além de Meditações de Lua Cheia ao vivo, sempre com dezenas de mulheres, e grupos de partilhas no Telegram.
     

  • Em 2019 fui convidada como palestrante para a conferência global de novas economias The Coming Storm, na Dinamarca, oportunidade em que pude compartilhar minha visão sobre o Papel das Mulheres na Transição de um Mundo em Crise.
     

  • Também na Dinamarca facilitei parte do Retiro Internacional de Mulheres para um grupo multicultural e multietário, com mulheres desde a Gâmbia até a Groenlândia, de 16 a 70 anos juntas.

69959829_1190946807773713_54860312927660

Sobre minhas Formações:

Minha prática como Terapeuta do Feminino se firma em:

  • Psicossíntese (Psicologia Transpessoal em que me especializei entre 2013 e 2015, com Andrée Samuel e Luizete Camargo)

  • Fenomenologia Goetheana (minha base de leitura de processos que pratico desde 2006 e que é também a base da Antroposofia, com Allan Kaplan)

  • Terapia Menstrual Madretierra (formação com Zulma Moreyra, 2020), um sistema sofisticado de Terapia do Feminino que toma o ciclo menstrual/menopausa como oráculo de nossa saúde, e nos ajuda a fazer as transições que não fizemos em nossa história como mulheres

  • Técnicas de Respiração Ovárica (formação com Sajeeva Hurtado 2020)  

  • Meditações e conhecimentos profundos sobre os chakras com o Tantra Yoga (iniciada em 2008 por Susan Andrews).

  • Formação no Feminino no TeSer (com Soledad Dolmec e Tassia Felix, 2018/19) e Conselho das Anciãs das Treze Luas (com Ivana Santos e Roberta Palma, 2018/19).

 

Me formei em Direito (PUC) e Jornalismo (ECA-USP) em 2003 e esses estudos são minha formação-base para trabalhar como terapeuta. Não dissocio transformação individual de transformação social, porque uma esfera entra na outra na clínica e é preciso saber trabalhar com isso para uma transformação mais íntegra.

 

Esta sou eu, por ora.  Vou adorar te conhecer. Seja bem-vinda!